Ao começar a se planejar para um financiamento imobiliário e realizar o sonho da casa própria, muitas dúvidas começam a surgir. Uma das mais clássicas é, “comprar um imóvel novo ou usado?”.

Fique tranquilo. Neste artigo da bem-te-vi você vai entender o que mais pesa na escolha entre as duas alternativas e decidir qual é melhor pra você e, claro, para o seu bolso.

Primeiro de tudo: como entender o financiamento imobiliário?

Quem nunca pensou em ter uma casa própria e sair do aluguel? Este é o sonho de grande parte dos brasileiros, porém, como os valores geralmente são maiores do que a maioria consegue pagar.

A solução então está no financiamento imobiliário que de maneira bem resumida é: após uma análise, receber crédito de um banco para adquirir a propriedade.

Os bancos geralmente cobrem até 80% do valor total do imóvel, e esse saldo devido às instituições financeiras é chamado de montante, que geralmente é pago de forma parcelada e com acréscimos de juros.

O restante do valor – que não foi fornecido pelo banco – é conhecido como entrada, e geralmente é pago à vista pelo comprador.

Outro ponto importante é que as parcelas dos imóveis financiados não podem comprometer mais de 30% da sua renda mensal.

Imóvel usado: financiar ou não?

Ao procurar pelo “ninho” que mais combina com seu estilo de vida, pode ser que você se apaixone por um imóvel usado e isso pode – ou não – ser uma vantagem.

Geralmente, os imóveis antigos são mais espaços e mais baratos, por isso, nesses quesitos eles podem ser bem mais vantajosos do que imóveis modernos.

Porém, é preciso ficar atento. Como você não será o primeiro dono, verifique se existem problemas na estrutura da construção e na documentação. Por isso, é recomendável analisar tudo com um advogado.

Lembre-se também que, dependendo das condições do imóvel, você também precisará gastar um dinheiro extra com reformas.

E se você escolheu um imóvel novo?

Assim como o financiamento de um imóvel usado, ao financiar um novo também é preciso ficar atento.

É claro que tudo o que é mais novo a gente tende a preferir, mas lembre-se, os imóveis mais modernos geralmente são mais caros e menores, por isso, é preciso prestar atenção caso estes sejam quesitos importantes para você.

Alguns pontos positivos de um imóvel novo é que eles são projetados de acordo com as necessidades da atual geração, podendo ser customizáveis e possuir áreas compartilhadas mais atrativas.

Além disso, eles geralmente apresentam uma qualidade superior, afinal, foram construídos recentemente.

A porcentagem para financiar um imóvel novo e um usado é diferente?

Hoje em dia, tanto o imóvel novo quanto o usado possuem o mesmo teto de valor financiado, que é de 80% ou 90%, a depender se as parcelas seguirão o Sistema de Amortização Constante (SAC) ou Tabela Price.

O que acontece é que fato de um imóvel novo ser mais valorizado colabora para que os bancos permitam um valor de financiamento maior do que o imóvel usado.

Isso acontece porque caso a pessoa que financiou seja inadimplente, o banco terá mais facilidade para vender o imóvel.

Com a mudança do programa Minha Casa Minha Vida para Casa Verde Amarela, o financiamento de imóveis urbanos usados passou a ser permitido para famílias com rendas de até R$ 7 mil.

Bem-te-vi, o seguro do bem!

Se você já passou por todas as etapas de um financiamento imobiliário e já está em sua casa nova, saiba que você ainda pode pagar menos nas suas parcelas.

Talvez você não saiba, mas ao assinar o seu contrato de financiamento, por lei, você precisou contratar um Seguro Habitacional.

Geralmente, os bancos oferecem as seguradoras parceiras com taxas bem mais altas, e você pode acabar aceitando sem saber. É aí que nosso passarinho chega com uma novidade.

A bem-te-vi é a seguradora do bem, e um dos nossos objetivos é ajudar você a reduzir as parcelas do seu financiamento.

Ficou curioso pra saber o quanto você pode economizar fazendo a portabilidade do seu seguro? Conheça a nossa calculadora e vem voar com a gente!