COMPARTILHE:

Assim como um passarinho, todo mundo precisa de um ninho, mas muitas vezes, por falta de conhecimento ou tempo para pesquisar, pensamos que ter uma casa própria é algo impossível de conquistar.

É por isso que a bem-te-vi existe, para provar que é possível sim voar com as próprias asas.

Hoje trouxemos um conteúdo bem simples e sem rodeios para você entender o que e quais são os tipos de financiamento imobiliário e amortizações.

No final, você vai entender qual deles combina mais com o seu perfil ou com a sua situação financeira atual, além de descobrir como pagar um Seguro Habitacional mais barato e justo.

Sistema Financeiro da Habitação (SFH)

O Sistema Financeiro da Habitação, conhecido também como SFH existe há mais de 50 anos no Brasil e é o modelo de financiamento imobiliário mais comum.

Seu objetivo é facilitar as famílias a comprarem, construírem ou reformarem um imóvel próprio.

Por meio do SFH, o indivíduo consegue financiar até 80% do valor do imóvel, desde que ele não ultrapasse o limite de R$ 1,5 milhão de reais e nem comprometa mais de 30% da renda da pessoa física (pessoas jurídicas não são contempladas pelo programa).

Os juros do SFH podem chegar até 12% ao ano e o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) pode ser utilizado logo no início do financiamento. Além disso, a cada dois anos é possível resgatar o acumulado para pagar menos juros.

O Sistema Financeiro da Habitação pode ser feito entre o comprador e a instituição financeira que ele escolher.

Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI)

Também criado pelo Governo Federal, o Sistema de Financiamento Imobiliário, conhecido como SFI garante mais flexibilidade entre instituição financeira e cliente.

Ao contrário do SFH, aqui o financiamento pode ultrapassar o valor de R$ 1,5 milhão de reais, além de não ter limite de comprometimento de renda.

Mas atenção, por esse motivo, os juros podem ser maiores, ultrapassando o limite de 12% ao ano do SFH.

O SFI permite que pessoas jurídicas façam parte do programa e desde 2021 é possível utilizar o FGTS para quitar prestações.

Minha Casa Verde e Amarela (antigo Minha Casa Minha Vida)

O antigo programa do Governo Federal, Minha Casa Minha Vida sofreu pequenas alterações nas suas regras e passou a se chamar Minha Casa Verde e Amarela.

Neste programa habitacional, famílias com rende mensal entre R$ 2 mil e até R$ 7 mil podem participar.

Além disso, o financiamento conta com juros menores e subsídio do governo. Tudo depende da região e da renda mensal, por exemplo, famílias com renda bruta de até 2 mil reais podem adquirir um imóvel com taxas de até 4,7% por ano e subsídio de R$ 47 mil reais do Governo.

O FGTS aqui pode ser utilizado para quitar o valor de entrada do imóvel ou as parcelas.

O imóvel pode ser financiado em até 360 meses e conta com as menores taxas de juros do mercado.

O que é amortização? E quais sãos os tipos?

Agora que você já conheceu 3 diferentes tipos de financiamento imobiliário, chegou a hora de falarmos sobre a amortização.

O nome pode até parecer diferente, mas o conceito é simples. A amortização nada mais é do que reduzir o valor da dívida ou do financiamento por meio de parcelas mensais.

SAC – Sistema de Amortização Constante

Aqui, as parcelas iniciais são maiores e cobrem o valor bruto do financiamento. Já as parcelas finais cobrem apenas juros e são menores. O reajuste acompanha a taxa referencial.

SACRE – Sistema de Amortização Crescente

Da mesma forma que o SAC, aqui as parcelas iniciais têm valores mais elevados e vão ficando mais baixas ao longo do tempo. A diferença é que todas as parcelas cobrem o valor total do financiamento. O reajuste acompanha a taxa referencial.

Tabela Price

Neste cálculo, as parcelas são constantes, mais baixas e com os juros embutidos. Aqui, o reajuste também acompanha a taxa referencial.

Vamos voar juntos?

E aí? Qual tipo de financiamento e qual tipo de amortização você se enquadra?

Você sabia que independente disso, todos eles exigem um Seguro Habitacional, que muitas vezes é contratado automaticamente, fazendo você pagar muito mais do que o necessário?

Foi pensando em ajudar a diminuir o valor das prestações do seu financiamento imobiliário que a bem.te.vi foi criada.

E não importa se você já tem um seguro contratado. É possível fazer a portabilidade.

Quer saber mais sobre o nosso Seguro Habitacional e saber como entrar na lista?

Faça uma simulação com a nossa calculadora e prepare-se para voar com muito mais liberdade.

Artigos relacionados

Serviços Financeiros

Como refinanciar um imóvel já financiado?

Serviços Financeiros

Você sabe como funciona o financiamento imobiliário?

COMPARTILHE:

Assim como um passarinho, todo mundo precisa de um ninho, mas muitas vezes, por falta de conhecimento ou tempo para pesquisar, pensamos que ter uma casa própria é algo impossível de conquistar.

É por isso que a bem-te-vi existe, para provar que é possível sim voar com as próprias asas.

Hoje trouxemos um conteúdo bem simples e sem rodeios para você entender o que e quais são os tipos de financiamento imobiliário e amortizações.

No final, você vai entender qual deles combina mais com o seu perfil ou com a sua situação financeira atual, além de descobrir como pagar um Seguro Habitacional mais barato e justo.

Sistema Financeiro da Habitação (SFH)

O Sistema Financeiro da Habitação, conhecido também como SFH existe há mais de 50 anos no Brasil e é o modelo de financiamento imobiliário mais comum.

Seu objetivo é facilitar as famílias a comprarem, construírem ou reformarem um imóvel próprio.

Por meio do SFH, o indivíduo consegue financiar até 80% do valor do imóvel, desde que ele não ultrapasse o limite de R$ 1,5 milhão de reais e nem comprometa mais de 30% da renda da pessoa física (pessoas jurídicas não são contempladas pelo programa).

Os juros do SFH podem chegar até 12% ao ano e o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) pode ser utilizado logo no início do financiamento. Além disso, a cada dois anos é possível resgatar o acumulado para pagar menos juros.

O Sistema Financeiro da Habitação pode ser feito entre o comprador e a instituição financeira que ele escolher.

Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI)

Também criado pelo Governo Federal, o Sistema de Financiamento Imobiliário, conhecido como SFI garante mais flexibilidade entre instituição financeira e cliente.

Ao contrário do SFH, aqui o financiamento pode ultrapassar o valor de R$ 1,5 milhão de reais, além de não ter limite de comprometimento de renda.

Mas atenção, por esse motivo, os juros podem ser maiores, ultrapassando o limite de 12% ao ano do SFH.

O SFI permite que pessoas jurídicas façam parte do programa e desde 2021 é possível utilizar o FGTS para quitar prestações.

Minha Casa Verde e Amarela (antigo Minha Casa Minha Vida)

O antigo programa do Governo Federal, Minha Casa Minha Vida sofreu pequenas alterações nas suas regras e passou a se chamar Minha Casa Verde e Amarela.

Neste programa habitacional, famílias com rende mensal entre R$ 2 mil e até R$ 7 mil podem participar.

Além disso, o financiamento conta com juros menores e subsídio do governo. Tudo depende da região e da renda mensal, por exemplo, famílias com renda bruta de até 2 mil reais podem adquirir um imóvel com taxas de até 4,7% por ano e subsídio de R$ 47 mil reais do Governo.

O FGTS aqui pode ser utilizado para quitar o valor de entrada do imóvel ou as parcelas.

O imóvel pode ser financiado em até 360 meses e conta com as menores taxas de juros do mercado.

O que é amortização? E quais sãos os tipos?

Agora que você já conheceu 3 diferentes tipos de financiamento imobiliário, chegou a hora de falarmos sobre a amortização.

O nome pode até parecer diferente, mas o conceito é simples. A amortização nada mais é do que reduzir o valor da dívida ou do financiamento por meio de parcelas mensais.

SAC – Sistema de Amortização Constante

Aqui, as parcelas iniciais são maiores e cobrem o valor bruto do financiamento. Já as parcelas finais cobrem apenas juros e são menores. O reajuste acompanha a taxa referencial.

SACRE – Sistema de Amortização Crescente

Da mesma forma que o SAC, aqui as parcelas iniciais têm valores mais elevados e vão ficando mais baixas ao longo do tempo. A diferença é que todas as parcelas cobrem o valor total do financiamento. O reajuste acompanha a taxa referencial.

Tabela Price

Neste cálculo, as parcelas são constantes, mais baixas e com os juros embutidos. Aqui, o reajuste também acompanha a taxa referencial.

Vamos voar juntos?

E aí? Qual tipo de financiamento e qual tipo de amortização você se enquadra?

Você sabia que independente disso, todos eles exigem um Seguro Habitacional, que muitas vezes é contratado automaticamente, fazendo você pagar muito mais do que o necessário?

Foi pensando em ajudar a diminuir o valor das prestações do seu financiamento imobiliário que a bem.te.vi foi criada.

E não importa se você já tem um seguro contratado. É possível fazer a portabilidade.

Quer saber mais sobre o nosso Seguro Habitacional e saber como entrar na lista?

Faça uma simulação com a nossa calculadora e prepare-se para voar com muito mais liberdade.

Artigos relacionados

Serviços Financeiros

Como refinanciar um imóvel já financiado?

Serviços Financeiros

Você sabe como funciona o financiamento imobiliário?